Apresentação Educação de jovens e Adultos - E.J.A.

O diagnóstico da Educação de Jovens e Adultos no município de Avaré, a partir dos dados obtidos pelo Educacenso entre os anos 2000 a 2013, incluem as matrículas recebidas no Ensino Fundamental I e II e Ensino Médio no período de 2000 a 2012.

A partir de 2010, a S.M.E. de Avaré passou a não mais atender o Ensino Médio da referida modalidade de ensino, repassando a função aos poucos (até finalizar o atendimento em 2012) para a Rede Estadual. O fato se deu devido a ajustes legais feitos com relação às prioridades de atendimentos de cada rede de ensino, pois como preconiza a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº 9.394/96), no seu artigo 11, inciso V, é prioridade para o município o atendimento da educação infantil e ensino fundamental, sendo “permitida a sua atuação em outros níveis de ensino somente quando estiverem atendidas plenamente as necessidades de sua área de competência e com recursos acima dos percentuais mínimos vinculados pela Constituição Federal à manutenção e desenvolvimento do ensino” (BRASIL, 1996).

Com a não oferta do Ensino Médio na Educação de Jovens e Adultos da Rede Municipal, já era esperado uma queda no número de matrículas nessa modalidade de ensino, mas observando somente as matrículas no Ensino Fundamental (Quadro e Gráfico a seguir), percebe-se que há também uma queda significativa no número de matrículas, justamente após a retirada do Ensino Médio da Rede Municipal (ano de 2010).

Existem várias hipóteses para essa redução, desde a redução de pessoas com defasagem escolar no município, até a desmotivação dos alunos em prosseguir seus estudos em outra rede (no caso, Rede Estadual), que não a Rede Municipal.

Para testar as várias, é necessária uma investigação mais profunda da população matriculada na Educação de Jovens e Adultos, cruzamento com dados da Rede Estadual e formulação de propostas curriculares que atendam efetivamente o interesse dessa população.

Para a matrícula inicial no ciclo II da EJA, no que tange à idade mínima para o ingresso, deverá seguir a Deliberação do Conselho Municipal da Educação (CME) nº04/2012. Importante salientar que essa deliberação segue a Resolução SE 16/2011 e Instrução CENP, de 06/08/2010.

No município, Unidades Escolares que oferecem a modalidade são:

  • EMEB Dona Anna Novaes de Carvalho (Ciclo I);

  • EMEB Fausto dos Santos Rodrigues (Ciclo I);

  • EMEB Profª Norma Lília Pereira (Ciclo I);

  • EMEB Orlando Cortez (Ciclo I);

  • EMEB Profª Maria Theresa de Oliveira Picalho (Ciclo I e II);

  • EMEB Profª Maria Nazareth Abs Pimentel (Ciclo I e II);

  • EMEB Prof. Flávio Nascimento (Ciclo I e II).

Todas as escolas contam com Sala de Informática, Biblioteca, Recursos de Multimídia.

Um dos principais problemas que enfrentamos na EJA é o da evasão escolar ou infrequência dos alunos. Num momento de decisões importantes em suas vidas, uma delas é a da retomada dos estudos para conclusão da escolaridade, estudos estes que foram interrompidos em algum momento pelos mais diferentes motivos, sem falar na parcela da população de jovens, adultos e idosos, ainda não alfabetizada.

Entretanto, uma parcela destes alunos não consegue permanecer na escola, seja pelo cansaço por mais um dia de trabalho, desinteresse, desmotivação ou mesmo por encontrarem uma escola pouco atraente para este público específico. Este público é formado por pessoas maduras com variadas experiências de trabalho e de vida, que trazem consigo práticas e valores já constituídos e também por uma parcela de jovens recém-saídos do ensino regular, prestes a entrar no mercado de trabalho.

Ambos os públicos trazem a expectativa de melhorar sua qualificação profissional, preparar-se para o primeiro emprego e, consequentemente, suas condições de vida. Neste sentido é que, como educadores, devemos sempre buscar melhorias através de ações que complementem nosso trabalho dentro e fora das salas de aula, o que certamente resultará numa educação de qualidade na EJA da rede municipal de ensino.